segunda-feira, 22 de maio de 2017

REAJUSTE SALARIAL DOS PROFESSORES DE TAUÁ - 2017

Finamente o PL 51/2017 do reajuste salarial dos professores da Rede Municipal de Tauá foi aprovado ontem (22/05/17) na Câmara Municipal de Tauá com o percentual de 7,64% linear e retroativo a janeiro de 2017, que será pago a diferença de janeiro em maio, fev/jun, mar/jul e abr/ago. No dia 08/05/2017 o Sindicato Apeoc/Tauá solicitou  ao poder legislativo em articulação com os vereadores tanto da base aliada como da oposição  que observassem a ausência da tabela vencimental e dos inativos (IPMT), então o projeto foi devolvido para ser alterado pelo executivo e na sessão seguinte foi votado e aprovado o pedido de urgência, vale lembrar que novamente a Apeoc solicita que seja corrigido o PL com a inclusão na tabela vencimental do professor auxiliar, pedido acatado e alterado imediatamente pela gestão municipal, mas lamentavelmente o PL não foi votado devido ao fato discrepante de um parlamentar da oposição fazer um pedido de vista num outro projeto que culminou num acirramento dos edis e causou o esvaziamento do parlamento e sem quorum suficiente para a votação de nosso reajuste, o episodio não tinha nada haver com a categoria dos professores. A Apeoc conseguiu articular com os vereadores que o reajuste fosse votado em sessão extraordinária (18/05), mas a chefe de gabinete do prefeito Carlos Windson retirou o projeto para alterar/reformular e evitar dúvidas de interpretação. 
O PL 51 na sessão (22/05) ainda apresentou erro de calculo na referência 1 (3º pedagógico) R$ 2.298,80, pois o valor exato R$ 2.301,34 diferença de R$ 2,54, mas graças a boa mediação do Sindicato com os edis foi modificado mais uma vez. Durante a Sessão ainda houve uma discussão pelos parlamentares em relação a ausência dos pensionistas, outra vez a representação classista da categoria do magistério intermedeia com o presidente ver. Marco Aurélio a observância da Lei Municipal Nº 2006/2013 que criou a IPMT na seção III - DO REAJUSTAMENTO DOS BENEFÍCIOS no art. 50º ressalta que os benefícios de aposentadoria e pensão serão reajustados no valor real, na mesma data e na mesma proporção da revisão geral da remuneração dos servidores ativos. 


terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Tauá: Sindicato APEOC leva demandas da categoria para sessão na Câmara de Vereadores

O Sindicato APEOC participou na tarde desta segunda-feira (13) de um debate na Câmara dos Vereadores de Tauá, no interior do estado. O representante municipal, Luiz Auci Oliveira Sousa, levou à casa legislativa a preocupação dos professores municipais quanto ao atraso do início do ano letivo de 2017 e demais reivindicações, como o reajuste salarial, lotação de professores e implantação de 1/3 para atividades extraclasses. A sessão contou com a presença de dezenas de docentes. 
A categoria havia se reunido em assembleia na manhã desta segunda (13) para encaminhar as reivindicações à Secretaria de Educação de Tauá. Veja as demandas:

Calendário Escolar

Para os profissionais do Magistério, o calendário escolar deve ser revisto. O início das aulas, marcado para o próximo dia 22 de fevereiro, dificultará o cumprimento dos 200 dias letivos, conforme exige a lei. Dessa forma, as aulas serão encerradas no dia 29 de dezembro e os professores não terão o recesso no Natal. A Comissão Municipal da APEOC em Tauá já articula uma reunião com a Secretaria da Educação para tratar o assunto.


Lotação

A lotação dos professores também foi um ponto discutido. Segundo a Secretaria de Educação do município, o processo de lotação dos docentes não leva em conta implantação do 1/3 de atividades extraclasses, ferindo a lei 11.738 art 2° e parágrafo 4°.

Reajuste

A categoria também reivindicou o envio da proposta de reajuste salarial dos professores à Câmara Municipal com aumento de 10%, retroativo a janeiro.


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Sindicato APEOC repudia reajuste proposto por Camilo Santana e cobra 7,64℅

"Entendemos que o anúncio do governador Camilo Santana com a recomposição de 2% sobre o salário dos servidores públicos estaduais, que ganham acima de um salário mínimo, não satisfaz e não corresponde aos anseios dos trabalhadores da Educação.
Da nossa parte, temos uma pauta protocolada no Palácio da Abolição e também junto à Secretaria da Educação do Estado, onde a nossa posição é fazer cumprir o índice do piso, de 7,64%, dentro da nova estrutura da carreira conquistada pela categoria.
Os números apresentados pelo governador estão sendo checados pela nossa comissão técnica, e queremos sentar à mesa com o governador na Comissão Especial de Negociação, garantida em lei, com a Secretaria da Educação, para demonstrar, não só a possibilidade, mas também a necessidade de avançarmos nessa posição inicial do governador.
E para além da negociação, estamos em um processo de mobilização com a categoria em todo o Estado.
Portanto, o Sindicato APEOC contesta, questiona e não abre mão do ganho remuneratório de 7,64%, dentro da nova estrutura da carreira. Estamos abertos ao diálogo mas vamos defender os nossos direitos até o final.
A nova carreira precisa ser valorizada, precisa ser recomposta a cada ano. Entendemos que a referência para essa recomposição é exatamente a política do Piso Nacional dos Professores.
Para além disso, queremos que essa diferenciação de recomposição da Educação possa atingir ativos e aposentados e, para além deles, também os funcionários da Educação com a revisão da tabela vencimental.
Estamos na luta, atentos, dispostos, e sabendo dos números, sabendo onde queremos ir. A categoria se coloca na perspectiva da posição da direção. Nenhum passo atrás para garantir o direito dos trabalhadores".
Anizio Melo - presidente do Sindicato APEOC

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Campanha Salarial de 2017 dos Profissionais da Educação do Estado é lançada com presença de trabalhadores e sindicalistas
O Sindicato APEOC lançou na tarde desta quarta-feira (25) a Campanha Salarial de 2017 dos Profissionais da Educação do Estado. Além do reajuste salarial de 7,64% no vencimento base (mesmo percentual de aumento do Piso Nacional dos Professores), a proposta da categoria abrange reivindicações e melhorias na carreira, realização de concurso público para professores e funcionários, valorização dos profissionais da Educação e alternativas de financiamento público para o setor tanto em nível estadual quanto federal.
Segundo o presidente do Sindicato APEOC, Anizio Melo, outro foco importante dessa campanha será a defesa dos direitos dos trabalhadores, tão ameaçados ultimamente pelo governo golpista de Michel Temer. O alvo será a Reforma da Previdência que acaba com a aposentadoria especial dos professores e iguala o tempo mínimo de contribuição para homens e mulheres. Essa proposta é um ataque aos profissionais da Educação. “É preciso haver essa sintonia entre a luta local e a luta nacional. Não há avanços no Ceará se as medidas da União destroem as conquistas dos trabalhadores e ameaçam as fontes de financiamento do Ensino Público”, disse Anizio.
video

Mobilização

O Plano de Lutas será discutido amplamente junto à categoria por meio de assembleias regionais em todo o Ceará. Os encontros serão realizados no período que vai de 31 de janeiro a 14 de fevereiro. O calendário será divulgado nos próximos dias.

FONTE: http://www.apeoc.org.br/noticias2/8411-campanha-salarial-de-2017-dos-profissionais-da-educacao-do-estado-e-lancada-com-presenca-de-trabalhadores-e-sindicalistas.html